COMO CHEGAR

INSTITUCIONAL

VIDA PASTORAL

CONHEÇA TAMBÉM

Paróquia Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé – 2019 © Todos os direitos reservados

Desenvolvido por:

Casamentos 2019

Desde a restauração, em 2008, a Igreja Nossa Senhora da Antiga Sé passou a ser um requisitado endereço para casamentos. Seu interior é todo em cores claras, com destaque para os entalhes, em dourado.

 

Se você está planejando o seu casamento, a agenda de 2019/2020

está aberta.

Agenda 2019/2020

A agenda de 2019/2020 está aberta.

O agendamento só é feito pessoalmente, na secretaria da Igreja, mas você já pode conferir algumas informações:

  • Funcionamento da secretaria: de segunda a sexta, das 08h às 17h, aos sábados de 09h30 às 12h.

  • Confirmação da reserva é feita mediante o pagamento de 50% do valor acertado na secretaria.

  • Dias e horários para casamentos: sextas e sábados, podendo ocorrer nos horários de 18h00 ou 20h00, mas é possível agendar exclusividade e bloquear os dois horários.

  • Capacidade: 250 pessoas sentadas.

  • Só são permitidas músicas sacras e eruditas segundo o decreto da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

  • O valor inclui: celebrante, tapete, toldo (até a rua), chuva de pétalas (pétalas cedidas pelo florista dos noivos), iluminação especial da igreja (que não é cenográfica), iluminação do chão (caminho da noiva), sino e abertura da tela com Nossa Senhora do Carmo no ato em que o noivo recebe a noiva no altar.

***

Sobre o sacramento

MATRIMÔNIO SACRAMENTO DO CASAL CRISTÃO

“A aliança matrimonial, pela qual o homem e a mulher constituem entre si uma comunidade de vida toda, é ordenada por sua índole natural à prole, e foi elevada, entre os batizados, à dignidade de Sacramento, por Cristo Senhor”

 

O MATRIMÔNIO CRISTÃO

 

O casamento é um momento muito importante, o início de uma nova etapa na vida do casal. Para isso vocês se preparam muito tempo, para ver se Deus os chamou para viver a dois, até que a morte os separe.

 

A celebração religiosa do casamento será vivida por vocês como o ponto alto de sua caminhada. Vocês vão administrar um ao outro o sacramento do Matrimônio. Para que a celebração religiosa seja realmente o ponto de partida de uma nova vida, é bom observar o seguinte:

Confissão: Procurem confessar-se antes do casamento, para receber a graça do sacramento do Matrimônio.

São Paulo diz: “Maridos, amai as vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja. É grande este mistério: refiro-me à relação entre Cristo e a sua Igreja” (Ef 5, 25.32).

O Pacto Matrimonial, pelo qual um homem e uma mulher constituem entre si uma íntima comunidade de vida e de amor, foi fundado e dotado de suas leis próprias pelo criador. Por sua natureza é ordenado ao bem dos cônjuges como também à geração e educação dos filhos. Entre os batizados, foi elevado, por Cristo, à dignidade de Sacramento.

O Sacramento do Matrimônio concede aos esposos a graça de amarem- se com o mesmo amor com que Cristo amou sua Igreja; a graça do Sacramento leva à perfeição o amor humano dos esposos, consolida sua unidade indissolúvel e os santifica no caminho da vida eterna.

O Matrimônio se baseia no consentimento dos contraentes, isto é, na vontade de doar-se mutuamente e definitivamente para viver uma aliança de amor fiel e fecundo. Como o Matrimônio estabelece os cônjuges num estado público de vida na Igreja, convém que sua celebração seja pública no quadro de uma Celebração Litúrgica diante do sacerdote, das testemunhas e da assembleia dos fiéis.

 

A unidade, a indissolubilidade e a abertura à fecundidade são essenciais ao Matrimônio. O lar cristão é o lugar em que os filhos recebem o primeiro anúncio da fé. Por isso, o lar é chamado, com toda a razão, de “Igreja doméstica”, comunidade de amor, de graça e de oração, escola das virtudes humanas e da caridade cristã.

***

CÂNTICO DE NÚPCIAS

Nossos caminhos são agora um só caminho,

nossas almas, uma só alma.

Cantarão para nós os mesmos pássaros,

e os mesmos anjos desdobrarão sobre nós

as invisíveis asas.

 

Temos agora por espelho os nossos olhos;

o teu riso dirá a minha alegria,

e o teu pranto, a minha tristeza.

 

Se eu fechar os olhos, tu estarás presente;

se eu adormecer, serás o meu sonho;

e serás, ao despertar, o sol que desponta.

 

Nossos mapas serão iguais,

e traçaremos juntos os mesmos roteiros

que conduzam às fontes escondidas

e aos tesouros ocultos.

 

Na mesma página do Evangelho encontraremos o Cristo,

partiremos na ceia o mesmo pão;

meus amigos serão os teus amigos,

perdoaremos com iguais palavras

aqueles que nos invejam.

 

Será nossa leitura à luz da mesma lâmpada,

aqueceremos as mãos ao mesmo fogo

e veremos em silêncio desabrochar no jardim

a primeira rosa da Primavera.

 

Iremos depois nos descobrindo nos filhos que crescem,

e não mais saberemos distinguir em cada um

os meus traços e os teus,

o meu e o teu gesto,

e então nos tornaremos parecidos.

 

E nem o mundo nem a guerra nem a morte,

nada mais poderá separar-nos,

pois seremos mais que nunca,

em cada filho,

uma só carne

e um só coração.

 

Que o homem não separe o que Deus uniu.

Que o tempo não destrua a aliança que nos prende,

nem os amores, o amor.

 

Que eu não tenha outro repouso que o teu peito,

outro amparo que a tua mão,

outro alimento que o teu sorriso.

 

E, quando eu fechar os olhos para a grande noite,

sejam tuas as mãos que hão de fechá-los.

 

E, quando os abrir para a visão de Deus,

possa contemplar-te como o caminho

que me levou, dia após dia,

à fonte de todo amor.

 

Nossos caminhos são agora um só caminho,

nossas almas, uma só alma.

 

Já não preciso estender a mão para alcançar-te,

já não precisas falar para que eu te escute...

 

 

Dom Marcos Barbosa

† Monge beneditino e escritor e poeta

da Academia Brasileira de Letras